quinta-feira, 22 de dezembro de 2011



Desejamos a todos Boas Festas e um Feliz 2012!!! Aproveitamos para comunicar que a FEK não estará aberta ao público entre os dias 23/12/2011 e 02/01/2012. Reabrirá na terça-feira, dia 03/01/2012, com visitas guiadas às 14:30 e 16h.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Eveline Hecker, Camilla Dias e Georgiana de Moraes, apresentam "O Tom do Vinícius" no encerramento da temporada 2011 do Sarau Repsol

24 de novembro, quinta feira, 19h

O Sarau Repsol acontece mensalmente na Fundação Eva Klabin e reúne grandes nomes da música popular brasileira



(evento para convidados)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Concertos de Eva de novembro | Harmonitango


Concertos de Eva

HARMONITANGO
José Staneck, harmônica
Ricardo Santoro, violoncelo
Sheila Zagury, piano

17 de novembro, quinta-feira

Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h

Programa:
ASTOR PIAZZOLLA
Libertango
Meditango
Muerte del Ángel
Milonga del Ángel
Resurrección del Ángel
Retrato de Milton
Deus Xangô
Fuga y Misterio
Adiós, Noniño
Primavera Porteña

ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marcio Doctors

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Próxima oficina do Projeto Respiração acontece em Petrópolis

Nos dias 18 e 19 de outubro (terça e quarta-feira), a Fundação Eva Klabin vai oferecer a Oficina do Projeto Respiração na cidade serrana de Petrópolis. Organizada em parceria com o Centro de Capacitação Frei Memória e comandada pelo artista plástico João Modé, a oficina reunirá professores de arte ligados à Secretaria Municipal de Educação de Petrópolis. O objetivo é apresentar ao grupo o Projeto Respiração da Fundação Eva Klabin e propor uma atividade que, a partir do conceito do projeto, proporcione uma reflexão sobre o objeto de arte, sua carga afetiva e seu potencial transformador na ocupação de espaços. A proposta é que os professores multipliquem e compartilhem esta experiência em sala de aula com seus alunos.

O Projeto Respiração da Fundação Eva Klabin, criado em 2004 pelo curador Marcio Doctors, consiste em convidar artistas contemporâneos a intervir no circuito expositivo da casa-museu, estabelecendo uma conexão entre a arte consagrada e as manifestações contemporâneas, propiciando novas formas de leitura do acervo constituído de arte clássica e arqueológica – que abrange 4.000 anos de história da arte, do Egito Antigo ao Impressionismo. Em 2011, o Projeto Respiração está realizando oficinas de arte em diferentes espaços como a Biblioteca Parque de Manguinhos, o Solar Meninos de Luz e a Redes de Desenvolvimento da Maré, contando com o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

João Modé, que apresentou a intervenção Invisíveis na 10ª edição do Projeto Respiração em 2009, nasceu em Resende e vive e trabalha no Rio de Janeiro. Seu trabalho articula-se por uma noção plural de linguagens e espaços de atuação. Alguns projetos, como REDE – desenvolvido em diversas cidades, como Rio de Janeiro, São Paulo, Berlim, Stuttgart e Rennes – e Constelações, envolvem a participação direta do público. Participou da 7ª Bienal do Mercosul [2009], da 28ª Bienal de São Paulo [2008], do Panorama da Arte Brasileira de 2007 e da Bienal de Praga [2003]. Exposições individuais recentes: João Modé, A Gentil Carioca; Para o Silêncio das Plantas, Cavalariças do Parque Lage [2011] ambas no Rio de Janeiro; De Sertão, MAMAM, Recife [2010]. Tem exposto também no exterior, em países como Suécia, Holanda, Suíça, Inglaterra e Alemanha, entre outros. Em 2011, publicou o livro Alguns Infinitos, pela editora Aeroplano. Possui formação em Arquitetura e Programação Visual, com mestrado em Linguagens Visuais pela UFRJ.

[Oficina do Projeto Respiração | João Modé | 18 e 19 de outubro de 2011 (terça e quarta-feira), na Universidade Católica de Petrópolis. Rua Benjamin Constant, 213, Centro - Petrópolis, RJ. Realização: Fundação Eva Klabin - site: www.evaklabin.org.br | Blog: www.projetorespiracao.blogspot.com. Coordenação e organização: Ruth Levy. Patrocínio: Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro].


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Plataforma de Pesquisa de outubro | Ana Cavalcanti


Plataforma de pesquisa
programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com Ana Cavalcanti
professora da Escola de Belas Artes - UFRJ

Os artistas brasileiros e «os Prêmios de Viagem à Europa» no final do século XIX: visão de conjunto e estudo aprofundado sobre o pintor Eliseu d'Angelo Visconti (1866 - 1944)

25 de outubro, terça-feira, às 17:00h
Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.

Resumo

O que significava o “Prêmio de Viagem à Europa” para os artistas brasileiros na segunda metade do século XIX? O que significou a experiência na Europa para Eliseu Visconti, vencedor do prêmio de 1892? Tais questões foram o ponto de partida desta pesquisa realizada a partir de análises das produções artísticas e leitura de documentos da época, com o intuito de compreender o que se esperava da arte e dos artistas no Brasil oitocentista.



Ana Ca
valcanti é Doutora em História da Arte pela Université de Paris 1 – Panthéon/Sorbonne, Ana Cavalcanti é professora da Escola de Belas Artes da UFRJ e atua no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da mesma instituição, onde coordena grupo de pesquisa sobre a relação entre crítica e produção artística no século 19 e início do 20 no Brasil. É membro da Comissão de Autenticação das Obras de Eliseu Visconti e integrante do grupo de pesquisa Entresséculos.





visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: r$10,00 inteira | r$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto

coordenação: Marcio Doctors
consultoria: Gloria Ferrei

Concertos de Eva no dia 20 de outubro


Concertos de Eva
A trajetória de Chiquinha Gonzaga, sua vida e sua obra, nos Concertos de Eva
Maria Teresa Madeira
Piano

20 de outubro, quinta-feira

Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h





Programa:

Os Tangos e as Polcas - Atraente | Não insistas, rapariga! | Tango característico | Viva o Carnaval | Bionne

As Canções - A brasileira | A corte na roça | menina faceira

As valsas - Plangente | Cananéa

Forrobodó - Tema do Forrobodó | Cordão Carnavalesco | Quadrilha

Os grandes sucessos - Corta-jaca | Lua Branca | Abre Alas


ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marcio Doctors

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Plataforma de Pesquisa 27/09 CANCELADO




Plataforma de pesquisa

programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com Paulo Venancio Filho

curador, crítico de arte e professor da EBA-UFRJ

O MODERNO SOMBRIO

CORNÉLIO PENNA/GOELDI/ MÁRIO PEIXOTO

27 de setembro, terça-feira, às 17:00h

Entrada Gratuita



Resumo

Por que em plena e irremediável liquidação do Brasil rural, na ascendente do processo de urbanização acelerada da sociedade brasileira e hegemonia das grandes cidades, um escritor, Cornélio Penna, se volta para a grande fazenda cafeeira e escravista do século XIX; um cineasta, Mário Peixoto, filma uma história enigmática ambientada numa vila praieira esquecida do litoral fluminense, e um desenhista e gravador, Oswaldo Goeldi, revela o mundo abandonado dos casarões arruinados dos subúrbios do Rio de Janeiro oitocentista? O que observavam não era uma aurora radiosa, mas um mundo compactado nas sombras - a permanência ainda dos traços peculiares à sociedade patriarcal, escravista, rural, que o Brasil foi durante séculos. E isso observado muito depois do modernismo “solar” da Semana de 22. O que o aparato moderno pertinente à arte do século XX e a ela sugerida indicava era a possibilidade de liquidação, ou incorporação, desses traços no quadro do progresso, sem o prejuízo de nossas peculiaridades, em soluções francamente otimistas como apontava o Manifesto Antropófago de 1922, porém, ao lado disso, um "moderno sombrio" permaneceu subterrâneo.


Paulo Venancio Filho é curador, crítico de arte, professor titular na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do CNPq. É autor de textos de livros e catálogos sobre vários artistas brasileiros entre eles Antonio Manuel, Hélio Oiticica, Cildo Meireles, Lygia Pape, Waltércio Caldas, Mira Schendel, Franz Weissmann, Iole de Freitas, Carlos Zilio, Anna Maria Maiolino, Nuno Ramos entre outros.



coordenação: Marcio Doctors

consultoria: Gloria Ferreira

imagem: cena do filme Limite de Mário Peixoto

Concertos de Eva de setembro | Sonia Goulart


Concertos de Eva

SONIA GOULART

piano

22 de setembro, quinta-feira

Visita guiada às 19 h

Coquetel às 20 h

Concerto às 20:30 h




Programa:

MOZART -Variações sobre um Minueto de Duport

CHOPIN- Noturno opus.48 no. 1

CHOPIN- Improviso no.1

CHOPIN- Scherzo no.1

SCARLATTI- 2 Sonatas .

LISZT - Estudo de Concerto no.2 (Dança dos Anões )

LISZT- Estudo Transcedental no X.

ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)

Reservas com antecedência:

tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br

clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger

Organização: Marcio Doctors

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

14ª Edição do Projeto Respiração | Enrica Bernardelli | Daniel Blaufuks

A Fundação Eva Klabin abre dia 10 de setembro, sábado, a 14ª edição do Projeto Respiração. Coincidindo com a realização da ArtRio – primeira Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro - , essa edição reúne, não por acaso, o trabalho de dois artistas, uma brasileira e um estrangeiro. Enrica Bernardelli apresenta Concerto de pálpebras, que é um convite para atravessarmos o dia sem excluir a arte do nosso cotidiano. E o premiado artista português Daniel Blaufuks traz Três quartos de memória, cujo título é um jogo de palavras intencional, que fala do espaço da casa utilizado pela exposição, e que se refere simultaneamente à impossibilidade de termos uma memória integral e objetiva do passado.

Outros eventos acontecem paralelamente à abertura do Projeto Respiração: no dia 08/09, quinta-feira, o curador Márcio Doctors faz palestra sobre o tema, às 18h, no Espaço Livraria Blooks da ArtRio, no Armazém 2, e no dia 09/09, sexta-feira, a Fundação Eva Klabin oferece um jantar em homenagem a ArtRio, com a presença de todos os artistas que participaram do Projeto Respiração e convidados.



Enrica Bernardelli Concerto de pálpebras

A artista criou dentro da Sala Renascença da Fundação Eva Klabin outra sala de 9m X 4m, com cortinas de filó de quatro metros de altura, que isolam no museu aquilo que nele já é isolado do mundo, convidando o olhar singular de cada um a atravessar esse espaço duplamente segregado, instaurando, dessa maneira, um novo território impregnado pela potência da arte. Para Enrica Bernardelli “os elementos importantes desse trabalho são as cortinas e as pálpebras, porque elas velam e revelam, e nos permitem entender que a verdadeira dimensão é quando a arte é percebida na existência, sem necessidade de interagir com a obra. A arte não precisa estar nos museus, mas permear nosso cotidiano.” O que propõe com esta intervenção é fazer um cinema sem filme, transformando esta intervenção em um fragmento do Filme U, que é uma obra da artista que se desdobra no tempo e que se materializa de diversas formas, dependendo do momento e do lugar em que é criada.

Nas palavras de Marcio Doctors, curador da Fundação Eva Klabin, a artista criou para o Projeto Respiração “uma cena estática, em que os corpos vivos desencadeiam uma realidade irreal em suspensão, como se fosse uma memória do futuro num ambiente que guarda a memória do passado. É uma cena muda envolta por sons de pássaros, cujo canto puxa o visitante de volta à realidade imediata da vida, indicando que dentro e fora não existe na arte. Por isso, as tênues cortinas de filó, que separam o museu do próprio museu, assim como as pálpebras, cujo movimento nos leva para dentro e para fora de nós mesmos, nos lembram da delicada e sutil separação entre uma arte e uma vida pulsante e uma arte e uma vida adormecida no cotidiano.”





Daniel Blaufuks Três quartos de memória

A intervenção se divide em quatro peças distintas para a exposição e terá como principal destaque um vídeo em película super 8 filmado dentro da casa-museu. No vídeo Três Quartos de Memória, Daniel Blaufuks procura estabelecer um diálogo com a sensação de suspensão do tempo e do espaço dentro da casa, estabelecendo relações sensoriais entre as pinturas, fotografias e reminiscências contidas nos ambientes. Os outros três trabalhos do artista, Déjà vu, Memory Landscapes (Shoah) e Auto-retrato, serão “descobertos” ao longo do percurso que vai sendo construído até chegar ao filme-coração, no Quarto de Dormir de Eva Klabin. “O título do filme, que é também o título da exposição, representa um jogo de palavras intencional, que fala simultaneamente do espaço ocupado pela intervenção e da impossibilidade de uma memória integral e objetiva”, explica Daniel Blaufuks.
A predileção pelas conexões entre o espaço e o tempo, a memória pública e a privada, temas muito presentes em suas obras, conjugou-se com o que encontrou na Fundação Eva Klabin, uma casa privada que se tornou pública, criando um espaço com uma nova vivência, mas em que restam todos os elementos da vivência anterior. Daniel Blaufuks é, na visão de Marcio Doctors, curador do Projeto Respiração, “um artista poeta, cujo material de trabalho é a memória da vida. Em sua intervenção, seu olhar visita a casa-museu através dos olhares das pinturas da coleção, numa sutil troca de posição com o artista e com os espectadores, como se o acervo guardasse os segredos e as lembranças de um tempo que pertence a ele e ao qual temos acesso apenas parcialmente.”

Sobre os artistas
Enrica Bernardelli nasceu em Brescia, na Itália e aos cinco anos de idade veio para o Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Autodidata, iniciou sua carreira como cineasta e seu primeiro filme, “Infinito Conquistar”, foi citado por Glauber Rocha no livro “A Revolução do Cinema”. Nos anos 90 passou a dedicar-se às artes visuais, tornando-se um dos expoentes da Geração 90. Entre suas exposições individuais, destacam –se No Avesso da Serpentina, MAM, Rio de Janeiro, 2001; Invertidas, Galeria Laura Marsiaj, Rio de Janeiro, 2002 e Filme U, Galeria Laura Alvin, Rio de Janeiro, 2010. Participou de importantes exposições nacionais e internacionais como Suspended Instant, Sculpture Center, Nova York,USA, 1997; Novas aquisições MAM, Rio de Janeiro, 2000; London Bienal, Londres, 2001; Bienal Internacional de São Paulo, 2002; Bienal de Belas Artes, Buenos Aires, Argentina, 2002, Bienal Mercosul, Porto Alegre, 2001 e 2005; Lisboafoto, Lisboa, 2005 e 2006, entre outras. Tem obras em várias coleções particulares, com destaque para a Fundação Cartier, a Fundação Cisneros e a Coleção Gilberto Chateaubriand.

Daniel Blaufuks nasceu em Lisboa, Portugal. Fotógrafo, cineasta e professor, fundador da Escola Maumaus, em Lisboa; professor da Escola de Arte Contemporânea do Centro de Artes & Comunicação Visual e da Escola Técnica de Imagem e Comunicação, de Lisboa. Exposições mais recentes: Os olhos da memória vêm melhor do que os nossos, Galeria Projetti RIo, Rio de Janeiro, 2011; Blaufuks, Galeria La Caja Negra, Madrid, 2007; Perecs Büro, Kunstverein Ruhr, Essen, 2010 (curated by Sérgio Mah); A memória da memória, Carpe Diem, Lisboa, 2010, entre outras. Seu documentário Sob céus estranhos, sobre refugiados judeus em Lisboa, na Segunda Guerra Mundial, foi visto em festivais de Nova Iorque, Toronto, Montreal, Berlim e Madri. Conquistou diversos prêmios. Os mais recentes são Best Portuguese Documentary, IndieLisboa, 2011, Best proposal, LOOP, Barcelona, 2008, Shortlisted for the Pilar Citoller Award, 2007, Selected for the Deutsche Boerse Award, 2007, Best Photography Book of the Year in the International Category, Photoespana, 2007
.

Projeto Respiração 14ª Edição - Fundação Eva Klabin - Av. Epitácio Pessoa, nº 2480, Lagoa, Rio de Janeiro. Abertura para convidados, 10 de setembro de 2011, sábado, a partir das 17h. Exposição: de 11 de setembro a 06 de novembro de 2011, de terça a domingo, das 14 às 18h. Ingressos: R$ 10,00 Meia entrada: R$ 5,00
Email: cultura@evaklabin.org.br Site: www.evaklabin.org.br.

Atividades paralelas:
08 de setembro - quinta-feira- 18h - Palestra sobre o Projeto Respiração com o curador da FEK, Marcio Doctors, no Espaço Livraria Blooks da ArtRio - Píer Mauá, Armazém 2. Av. Rodrigues Alves, 10, Centro.
09 de setembro - sexta-feira - 20h - Pré-abertura da 14ª edição do Projeto Respiração e jantar em homenagem à ArtRio, para convidados, na Fundação Eva Klabin.

Concerto de pálpebras | Foto Mario Grisolli
Três quartos de memória | Autorretrato na Casa de Eva Klabin

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Projeto Respiração na Maré


Fundação Eva Klabin realiza oficina de arte na Maré

A Fundação Eva Klabin realiza a Oficina do Projeto Respiração dirigida aos alunos do curso de Mediadores Culturais do Ponto de Cultura Rede de Arte e Cultura da Maré. A oficina será comandada pela artista plástica Anna Bella Geiger e tem o objetivo de apresentar ao grupo o Projeto Respiração da Fundação Eva Klabin e propor atividades que, a partir do conceito do projeto, proporcionem aos participantes uma experiência de aproximação com a arte e com seu potencial transformador.

O Ponto de Cultura é ligado à Redes de Desenvolvimento da Maré (www.redesdamare.org.br) e promove, entre várias outras atividades, o curso de formação em mediação cultural para jovens interessados em arte e cultura e que desejam futuramente atuar na produção e difusão de projetos e atividades culturais.

O Projeto Respiração da Fundação Eva Klabin, criado em 2004 pelo curador Marcio Doctors, consiste em convidar artistas contemporâneos a intervir no circuito expositivo da casa-museu, estabelecendo uma conexão entre a arte consagrada e as manifestações contemporâneas, propiciando novas formas de leitura do acervo constituído de arte clássica e arqueológica – que abrange 4.000 anos de história da arte, do Egito Antigo ao Impressionismo. Em 2011, o Projeto Respiração está sendo levado a comunidades da cidade, através de oficinas de arte, com o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

Anna Bella Geiger é escultora, pintora, gravadora, desenhista, artista intermídia e professora. Sua obra é marcada pelo uso de diversas linguagens e a exploração de novos materiais e suportes, situando-se no limite entre pintura, objeto e gravura. Tem trabalhos (fotografias) em museus como o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque; O Centro Georges Pompidou em Paris; A Getty Collection, em Los Angeles; o Museu de Arte Contemporânea de São Paulo; a FOGG Collection, em Harvard, Boston e a Biblioteca Pública de Paris. Atualmente apresenta a exposição Anna Bella Geiger circa MMXI no Arte Sesc, no Flamengo, em que faz uma retrospectiva de 60 anos de sua trajetória.

Oficina do Projeto Respiração | Anna Bella Geiger | 18 e 20 de agosto de 2011

Local: Redes de Desenvolvimento da Maré - tel (21) 3105-5531- www.redesdamare.org.br

Realização: Fundação Eva Klabin - site: www.evaklabin.org.br
blog: www.projetorespiracao.blogspot.com

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Veja Rio indica preciosidades "escondidas" em museus cariocas


A Veja Rio deste fim de semana trouxe um roteiro mostrando preciosidades em acervos de museus cariocas; entre elas o esquife de gato da coleção egípcia da FEK... vale a pena conferir! leia melhor em http://migre.me/5rOcd e http://migre.me/5rOg6

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

A FEK realiza duas oficinas do Projeto Respiração em agosto

O Projeto Respiração da Fundação Eva Klabin, criado em 2004 pelo curador Marcio Doctors, consiste em convidar artistas contemporâneos a intervir no circuito expositivo da casa-museu, estabelecendo uma conexão entre a arte consagrada e as manifestações contemporâneas, propiciando novas formas de leitura do acervo constituído de arte clássica e arqueológica – que abrange quatro mil anos de história da arte, desde o Egito Antigo até o Impressionismo.

Em 2011, o Projeto Respiração está sendo levado a comunidades carentes da cidade, através de oficinas de arte, com o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro.

Em agosto serão realizadas duas oficinas: a primeira, ministrada pelo artista Paulo Vivacqua, será oferecida a alunos do Solar Meninos de Luz, organização que promove educação formal e complementar nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A segunda será realizada pela artista Anna Bella Geiger e será dirigida aos alunos do curso de Mediadores Culturais do Ponto de Cultura Rede de Arte e cultura da Maré.
O objetivo das oficinas é apresentar aos
participantes a Fundação Eva Klabin e o Projeto Respiração e propor atividades que, a partir do conceito do projeto, proporcionem aos participantes uma experiência de aproximação com a arte e com seu potencial transformador.

A oficina Arte Sonora, realizada pelo artista plástico Paulo Vivacqua, vai acontecer nos dias 10 e 11 de agosto, para alunos do Solar Meninos de Luz.

A oficina começa com uma apresentação da museóloga Ruth Levy sobre a Fundação Eva Klabin e o Projeto Respiração. Em seguida, o artista Paulo Vivacqua, que participou da 4ª edição do Projeto Respiração com a intervenção Visita, fará uma apresentação sobre seu trabalho, os princípios que o regem e a proposta da oficina. Vivacqua vai trabalhar com a idéia de objeto sonoro, falando da historia da arte sonora e da musica, apresentando exemplos e vídeos, mostrando a abordagem do som de uma nova maneira, deslocando seu contexto original e analisando suas características. Depois, cada participante irá escolher um determinado som que tenha um significado especial, relacionado a algum estado emocional ou situação e, no segundo dia da oficina, poderá expor sua escolha, descrever esse som e o contexto em que ele se insere. Mais do que reproduzir o próprio som escolhido, o interessante é cada um relatar a sua experiência; falar sobre o som como um exercício de imaginação.

Paulo Vivacqua é artista plástico e músico. Em 2001 foi selecionado pela Bolsa Virtuose para desenvolver seu projeto sobre “A Instalação Sonora” como Artista Residente na Apexart em Nova York, onde aprofunda sua pesquisa no território híbrido entre música e artes plásticas e o cruzamento entre som e espaço. Entre as obras que se destacam nos últimos anos Sound Field (2002, Sound in the Landscape, Artomi), Escape (2002, Museu del Barrio) e Radio Polyphony (2003, Diapason, The Thing) e Sentinels (2004, Sculpture Center ) todos em Nova York. Em 2005 Residuu (5ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre), 2006 Stereo Desert (Townhouse Gallery – Cairo) Nympheas (Galeria Artur Fidalgo – Rio), 2006 Visita (Fundação Eva Klabin, Rio de Janeiro). 2007 Deserto (Sternesen Museum – Oslo) e Real Imaginário (Museu Imperial – Petrópolis). Em 2008 foi selecionado para o Prêmio Arte e Patrimônio com o projeto para espaço público Sentinelas, Deserto (Centro Cultural da Caixa Economica Federal – Brasília) e Lug(ar) (1+7 – Museu Vale, Vitória Espírito Santo). Trabalhos recentes incluem a individual V(ar)riações (Galeria Artur Fidalgo – Rio), Artista convidado do 63º Salão de Arte do Paraná em Curitiba no MAC (Museu de Arte Contemporânea) e kms5n6j6jw6EHkuhuf7ytgEQg4jk46a45h (Galeria Laura Marsiaj - Rio, 2011).

O Solar Meninos de Luz é uma organização civil, filantrópica, em funcionamento desde agosto de 1991. Promove educação formal e complementar em regime integral, cultura, esportes e cuidados básicos de saúde nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Oficinas do Projeto Respiração

Paulo Vivacqua – dias 10 e 11 de agosto de 2011 - Local: Solar Meninos de Luz Rua Saint Roman, 149 – Copacabana – Rio de Janeiro / RJ - - tel: (21) 2522-9524 - www.meninosdeluz.org.br

Anna Bella Geiger – 18 e 20 de agosto de 2011 - Local: Redes de Desenvolvimento da Maré – Rua Sargento Silva Nunes, 1012 – Nova Holanda – bairro Maré – Rio de Janeiro / RJ – tel (21) 3105-5531- www.redesdamare.org.br

Realização: Fundação Eva Klabin - www.evaklabin.org.br - Coordenação e organização: Ruth Levy - Patrocínio: Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro

Nympheas / Foto do artista

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Plataforma de Pesquisa de agosto | Elisa Byington


Plataforma de Pesquisa
programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com Elisa Byington
Historiadora da arte


Giorgio Vasari e a invenção do artista moderno

23 de agosto, terça-feira, às 17:00h
Entrada Gratuita




Resumo


Há quem diga que Giorgio Vasari inventou a arte do Renascimento, e mesmo quem sustente que a Historia da Arte não passa de notas de rodapé às Vidas dos mais excelentes pintores, escultores e arquitetos, escritas pelo pintor e arquiteto em 1550. Vasari foi responsável pela descrição dos princípios que nortearam a delimitação de um período de três séculos no qual ele identificava a evolução da arte italiana do século XII até os seus dias: de Giotto a Michelangelo. A arte do seu tempo, que rompia com os cânones do passado recente, ele chamava de “arte moderna”. A tese contextualiza o livro de Vasari no debate da época, quando há o esboço de uma teoria das artes e a consolidação do status do artista moderno. O processo é marcado pela fundação da primeira Academia do Desenho em Florença pelo próprio Vasari em 1563.




Elisa Byington se formou em sociologia na PUC-Rio e em Historia da Arte na Universidade de Roma – La Sapienza, onde se dedicou ao estudo da obra de Giorgio Vasari, primeiro historiador do Renascimento italiano. Autora dos livros Galleria Borghese – os tesouros do cardeal (2000) e Palazzo Pamphilj (2001), O Projeto do Renascimento (2009), colabora periodicamente com ensaios e artigos sobre arte clássica e contemporânea em revistas especializadas.




Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.


visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: r$10,00 inteira | r$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto


coordenação: Marcio Doctors
consultoria: Gloria Ferreira



Concertos de Eva de julho | Música Barroca

Concertos de Eva

Música Barroca com o
DUO-FAGERLANDE

Aloysio Fagerlande [fagote]
Luis Carlos Justi [oboé]

18 de agosto, quinta feira
Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h


Programa
JOHANN SEBASTIAN BACH Oferenda Musical
Arte da Fuga

ANTONIO VIVALDI Sonata em dó maior do “Pastor Fido”
Andante-Alllegro- Andante-Allegro-Allegro

FRANCESCO GEMINIANI Duo-sonata em mi menor
Adágio-Allegro-Largo-Alleg​ro

MARIN MARAIS Variações sobre « Les Folies d’Espagne »

JOSEPH FIALA Duo Concertante para oboé e fagote


ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marcio Doctors

quinta-feira, 14 de julho de 2011

João Carlos Assis Brasil fará dois concertos na FEK semana que vem!


Concertos de Eva
JOÃO CARLOS ASSIS BRASIL - piano


Para o concerto do dia 21/07, os ingressos estão esgotados, mas o pianista fará uma segunda apresentação na sexta-feira, dia 22/07.





22 de julho, sexta-feira


Visita guiada às 19 h

Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h


Programa: “With a song in my heart” *


Rodgers e Hart - With a song in my heart
Bewitched
My funny Valentine
You took advantage of me
Some enchanted evening

Irving Berlin - How about me
Cheek to cheek
Alexander’s ragtime Band

Jerome Kern - All the things you are
The song is you
Yesterdays

Cole Porter - I get a kick out of you

Love for sale
From this moment on
My heart belongs to Daddy

Gershwin - Rhapsody in Blue
Soon
It’s wonderful
Love is hear to stay
Fascinating Rhythm
I’ve got a crush on you
They can’t take that away from me
I got Rhythm


Suite Cinematográfica – os grandes temas musicais dos filmes de Hollywood.

* os arranjos de todas as músicas são de autoria do pianista João Carlos Assis Brasil

ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 32
02-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 2
0% de desconto


Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marci
o Doctors


Na foto, uma lembrança da apresentação do pianista na FEK, em março de 2001. Na ocasião, ele teve que fazer duas apresentações também!
Da esquerda para a direita, Heloisa Carvalho, Nenem Krieger, João Carlos Assis Brasil, Ronaldo Miranda e Maria Cristina Monteiro de Castro.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Plataforma de Pesquisa | Fernanda Marinho



Plataforma de pesquisa

programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com FERNANDA MARINHO
Doutoranda em História da Arte junto ao IFCH da UNICAMP

Leonardo da Vinci e Giampietrino: A Virgem amamentando o menino e São João Batista criança em adoração, do Museu de Arte de São Paulo

12 de julho, terça-feira, às 17:00h




Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.

visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: r$10,00 inteira | r$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Resumo
A pintura Virgem amamentando o Menino e São João Batista criança em adoração, do Museu de Arte de São Paulo, atribuída a Giovanni Pietro Rizzoli, conhecido como Giampietrino aponta relações com o cenário produtivo do Cinquecento lombardo caracterizado pela presença de Leonardo da Vinci. No entanto, a partir desta pintura podemos ampliar as possibilidades de diálogos artísticos traçados por este autor, enriquecendo a sua traj
etória ainda pouco conhecida.


Fernanda M
arinho
Doutoranda em Hi
stória da Arte junto ao IFCH da UNICAMP (bolsista CNPq) com ênfase no estudo das tradições clássicas. Durante a graduação e o mestrado desenvolveu pesquisas de obras renascentistas do acervo público e privado nacional (Rio de Janeiro e São Paulo). Atualmente dedica-se às manifestações artísticas consideradas antirrenascentistas, segundo os estudos do historiador da arte italiano Eugenio Battisti.



coordenação: Marcio Doctors
consultoria: Gloria Ferreira

Concertos de Eva de julho | João Carlos Assis Brasil


Concertos de Eva
JOÃO CARLOS ASSIS BRASIL - piano

21 de julho, quinta-feira

Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h

Programa: “With a song in my heart” *


Rodgers e Hart - With a song in my heart
Bewitched
My funny Valentine
You took advantage of me
Some enchanted evening

Irving Berlin - How about me
Cheek to cheek
Alexander’s ragtime Band

Jerome Kern - All the things you are
The song is you
Yesterdays

Cole Porter - I get a kick out of you
Love for sale
From this moment on
My heart belongs to Daddy

Gershwin - Rhapsody in Blue
Soon
It’s wonderful
Love is hear to stay
Fascinating Rhythm
I’ve got a crush on you
They can’t take that away from me
I got Rhythm

Suite Cinematográfica – os grandes temas musicais dos filmes de Hollywood.

* os arranjos de todas as músicas são de autoria do pianista João Carlos Assis Brasil

ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marcio Doctors

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Participação do curador Marcio Doctors na mesa redonda A Moreninha: os anos 80 para além da pintura


A Moreninha: os anos 80 além da pintura

APRESENTAÇÃO

O crescente interesse em recuperar documentos e produzir narrativas históricas acerca da arte brasileira dos anos 80 conduziu as atividades do Laboratório de História, Crítica e Teoria da Arte II, do Instituto de Artes / Uerj, na direção da produção de um resgate histórico da atuação do grupo A Moreninha, ocorrida entre 1986 e 1988. Foram realizadas entrevistas e levantamento de fotografias, vídeos, reportagens e outros documentos da época.

Um dos pontos principais desta primeira fase do projeto – iniciado no primeiro semestre e com desenvolvimento previsto por todo o ano de 2011 – foi uma série de entrevistas com os que atuaram no grupo. Assim, a partir das memórias de alguns dos participantes, busca-se costurar o tecido que compõe a trajetória de A Moreninha pelo circuito de arte do Rio de Janeiro.

A mesa-redonda “A Moreninha: os anos 80 além da pintura” encerra esta primeira fase do projeto, trazendo para uma conversa pública o artista Hilton Berredo e o crítico de arte Marcio Doctors, com mediação e coordenação de Ricardo Basbaum – participantes do grupo A Moreninha.

A MORENINHA

A Moreninha foi um grupo de artistas e críticos que, de forma irreverente e descontraída, participou do cenário artístico do Rio de Janeiro dos anos 80. O início de sua atuação se deu no fim de 1986, quando jovens artistas se organizaram para visitarem os ateliês uns dos outros. No período, vivia-se sob a efervescência da chamada “Geração 80”, marcada pela vaga idéia do “prazer de pintar” – clichê que revelou-se limitado como modo de compreensão da produção artística daquele momento, marcada também pela atuação multimídia e experimental por parte de alguns jovens artistas.

Em fevereiro de 1987, num desdobramento da fase inicial das visitações, o grupo se organizou para um piquenique na Ilha de Paquetá, onde fariam pinturas impressionistas sob o pretexto da comemoração do centenário de uma suposta passagem de Manet pelo Rio de Janeiro. Ainda naquele mês, o grupo voltou a se manifestar em uma ação durante a palestra proferida pelo critico de arte italiano Achille Bonito Oliva na galeria Saramenha, gerando polêmica e grande repercussão na imprensa. Meses depois, ocorreu ainda a exposição “Lapada Show”, seguida, em dezembro do mesmo ano, pelo lançamento do livro e do vídeo “Orelha”. Já em março de 1988, a participação na exposição "Le Déjeuner sur l'art: Manet no Brasil", na EAV do Parque Lage, marcou o encerramento das atividades do grupo.

A atuação do grupo “A Moreninha” nos abre outra perspectiva sobre o rumo da arte dos anos 80 no Brasil. Começando com uma atividade relacionada à pintura, o grupo questionou o rótulo hedonista que marcava a geração 80, decretando o seu fim, a partir da retomada da prática discursiva e da busca de um pensamento crítico acerca de sua própria produção e do circuito de arte local.

CRONOGRAMA BÁSICO DAS ATIVIDADES DO GRUPO

- Fim de 1986: início das visitações semanais aos ateliês dos artistas do grupo para discussão de trabalhos;

- Janeiro de 1987: visita ao Projeto Hélio Oiticica, conduzida por Luciano Figueiredo;

- Fevereiro 1987: realização da primeira ação: Maratona Impressionista na Ilha de Paquetá;

- Fevereiro 1987: realização da segunda ação: Intervenção na palestra de Achille Bonito Oliva, Galeria Saramenha;

- Junho 1987: exposição “Lapada Show” (loja Brumado, Rua do Lavradio, Lapa), com os artistas do grupo e a presença dos convidados Lygia Pape, Márcia X e Alex Hamburger;

- Dezembro 1987: lançamento do livro e do vídeo Orelha, na Petite Galerie, Ipanema;

- Março de1988: Participação na exposição "Le Déjeuner sur l'art: Manet no Brasil", na EAV Parque Lage, com curadoria de Frederico Morais;

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Atenção: Horário de visitação


Com o término da 13ª edição do Projeto Respiração, o horário de visitação da Fundação Eva Klabin volta a ser

de terça a sexta, com visitas guiadas às 14:30 e 16h (não é necessário agendar, é só chegar num dos dois horários)

visite o nosso site e saiba mais sobre a casa e a coleção http://www.evaklabin.org.br

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Concertos de Eva de junho | Quarteto Continental

Concertos de Eva

QUARTETO CONTINENTAL

VINICIUS AMARAL, violino
TOMAZ SOARES, violino
DANIEL PRAZERES, viola
PAULO SANTORO, violoncelo

16 de junho, quinta-feira

Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h



Programa:

H. VILLA-LOBOS QUARTETO N° 17
Allegro non troppo
Lento
Scherzo: Allegro Vivace
Allegro Vivace (con fuoco)

A. PIAZZOLLA VERANO PORTEÑO
INVIERNO PORTEÑO
MILONGA DEL ÁNGEL
LA MUERTE DEL ÁNGEL

ingressos: R$40,00 inteira | R$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Programação e produção: Nenem Krieger
Organização: Marcio Doctors

Plataforma de pesquisa de junho | Amália Giacomini

Plataforma de pesquisa
programa de divulgação de teses universitárias em arte


Com AMALIA GIACOMINI

Artista plástica


A ARTE NÃO ESTÁ MAIS LÁ


21 de junho, terça-feira, às 17:00h


A representação racionalista e a percepção fenomenológica do espaço são questões fundamentais no estabelecimento do território semântico onde habita a obra de Amália Giacomini, artista que
apresenta no próximo encontro do projeto Plataforma de Pesquisa, dia 21 de junho, sua dissertação em Linguagens Visuais pela Escola de Belas Artes da UFRJ “A arte não está mais lá”. Por meio da análise das obras de Robert Morris, Fred Sandback e Daniel Buren, a artista procura promover pontos de contato e argumentos que as aproximem ou afastem das questões levantadas a partir da produção de sua obra.




Amália Giacomini
Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (FAU-USP), participou da recente edição do programa Rumos Artes Visuais – T
rilhas do Desejo, do Instituto Cultural Itaú (curadoria de Paulo Sérgio Duarte), da mostra Ponto de Equilíbrio (curadoria de Agnaldo Farias e Jacopo Crivelli) e da 63ª edição do Salão Paranaense. Tem exposto seu trabalho em importantes instituições do país, como o Centro Universitário Maria Antonia da USP, Centro Cultural São Paulo, Museu da Casa Brasileira, Instituto Tomie Othake, galerias da FUNARTE , Centro Cultural Sérgio Porto, Casa França Brasil, Museu de Arte Contemporânea do Paraná e Museu de Arte Contemporânea de Niterói. No exterior apresentou em 2009 a exposição individual Liberér l’horizon reinventér l’espace, na galeria da Cite dês Arts em Paris e participou em 2005, na mesma cidade, da Exposição Comemorativa do Ano do Brasil da França realizada pela FUNARTE/ MinC. Seu trabalho é representado pela Galeria Mercedes Viegas no Rio de Janeiro e pela Galeria Virgílio em São Paulo


Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.

visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: R$10,00 inteira | R$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto

coordenação: Marcio Doctors
consultoria: Gloria Ferreira

terça-feira, 17 de maio de 2011

Emílio Kalil visita a 13ª edição do Projeto Respiração


O curador Marcio Doctors e o artista Carlito Carvalhosa receberam no sábado, dia 14/05, a visita do Secretário Municipal de Cultura do Rio, Emílio Kalil, que veio conferir a 13ª edição do Projeto Respiração, Regra de dois. Acompanhando o Secretário, vieram tabém Paulo Herkenhoff, que foi curador da FEK nos anos 90, e Gunnar Kvaran, diretor do Museu Astrup Fearnley de Arte Moderna, em Oslo.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Plataforma de Pesquisa de maio | Maria Berbara

Plataforma de pesquisa
programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com Maria Berbara

doutora em história da arte, professora do departamento de História e Teoria da Arte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Cristo como Laocoonte. Um paralelo iconográfico entre representações sacrificiais pagãs e cristãs durante o Renascimento italiano.


24 de maio, terça-feira, às 17:00h


A dissertação investiga a assimilação de temas e motivos sacrificiais greco-romanos à iconografia cristã durante o Renascimento Italiano, com particular atenção ao caso do Laocoonte vaticano





Maria Berbara

é
mestre em História da Arte pela Universidade de Campinas (Unicamp) e doutora em História da Arte pela Universidade de Hamburgo (Alemanha). Leciona junto ao departamento de História e Teoria da Arte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É autora de diversos estudos no âmbito do Renascimento italiano e ibérico e dos intercâmbios artístico-culturais europeus nos séculos XV, XVI e XVII.





Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.

visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: r$10,00 inteira | r$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto

Concertos de Eva de maio | Duo Pianístico


Concertos de Eva
DUO PIANÍSTICO MARIA HELENA DE ANDRADE e SONIA VIEIRA
(concerto em comemoração aos 25 anos da criação do Duo)

19 de maio, quinta-feira

Visita guiada às 19 h
Coquetel às 20 h
Concerto às 20:30 h







Programa:

CARLOS GOMES Sinfonia (da ópera “O Guarani”)
(arranjo para piano a 4 mãos por Nicolò Celega)

CHOPIN Variações sobre uma ária nacional de Moore

RACHMANINOFF Barcarolle
Scherzo

*LISZT Cantata festiva
( redução para piano a 4 mãos feita pelo próprio compositor)

*comemoração do bicentenário de nascimento de Liszt


ingressos: r$40,00 inteira | r$20,00 meia (acima de 60, estudantes e classe musical)
Reservas com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br
clube do assinante do globo: 20% de desconto

segunda-feira, 25 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

A Fundação Eva Klabin não estará aberta à visitação nos feriados de Tiradentes e Páscoa.
Na terça feira, dia 26, começa a 13ª edição do Projeto Respiração, Regra de dois, com o artista Carlito Carvalhosa, com abertura às 19h.
Durante a exposição, de 27/04 a 26/06, o horário de visitação será de terça a domingo, das 14 às 18h.
Boa Páscoa e bom feriado!!!

Novo Site da FEK!!!


A Fundação Eva Klabin está de site novo!
Novo visual e muito mais conteúdo para você!!!!!
Você vai saber mais sobre o museu, a colecionadora, acompanhar toda a programação e ficar sabendo de todas as novidades.
para acessar clique na imagem ao lado

segunda-feira, 18 de abril de 2011

13ª edição do Projeto Respiração | Carlito Carvalhosa

Carlito Carvalhosa
Regra de dois

curadoria
Marcio Doctors

abertura
26 de abril de 2011
terça-feira
a partir das 19h





A Fundação Eva Klabin abre em 26 de abril a 13ª edição do Projeto Respiração, patrocinado pela Secretaria de Cultura de Estado do Rio de Janeiro, que tem como objetivo promover intervenções de artistas contemporâneos que interagem com o acervo de artes clássicas da fundação. Carlito Carvalhosa é o artista convidado desta edição, com a intervenção Regra de dois, que propõe trazer para dentro da casa-museu o que lhe falta: a luz e a natureza; para ressaltar o que nela predomina: as áreas de penumbra e a própria coleção. A intervenção de Carlito Carvalhosa, com curadoria de Marcio Doctors, cria uma atmosfera que se contrapõe à ordem absolutamente simétrica que a colecionadora Eva Klabin estabeleceu para dar coerência aos objetos e as obras de arte de sua coleção eclética.
De acordo com o curador, Marcio Doctors, a proposta Regra de dois “nasce a partir da idéia de uma regra que não existe e que não prova nada: o artista cria a “regra de dois”, que tem a propriedade de desestabilizar e fazer ver as singularidades e diferenças dos objetos entre si, extraindo com intensidade de luz o sentido ocultado pela harmonização de espaços contínuos da decoração burguesa, ao estabelecer um vazio necessário – uma interrupção –, para fazer ver”. Desse modo, os móveis da Sala Renascença são erguidos com copos a uma altura de 20 cm do chão, sob um tapete de luz que dá a sensação dos móveis em flutuação. O efeito de descolamento do chão conduz a um deslocamento do olhar que permitirá rever a coleção de outra forma, como explica Marcio: “Como um prestidigitador, através de um ato mágico de levitação com luz, o artista cria a “respiração” necessária para que o excesso de ordem não sufoque a visão. Essa intervenção desestabiliza o universo regrado do último ambiente do circuito de visitação ao transformá-lo numa floresta suspensa, como se transferisse as paisagens da tela para o espaço real, criando uma sensação fílmica de irrealidade real. Mais uma vez, como um mágico, ao deslocar a natureza do exterior para o interior, Carlito Carvalhosa nos coloca diante de uma situação surpreendente que revela pulsões subterrâneas que estão latentes na penumbra da casa, como a sexualidade e a solidão de sua antiga moradora”, finaliza.
Projeto Respiração
Criado em 2004, o projeto consiste em convidar artistas contemporâneos a intervir no circuito expositivo da casa-museu, estabelecendo uma conexão entre a arte consagrada do passado e as manifestações contemporâneas, que propicia novas formas de leitura do acervo constituído de arte clássica e arqueológica – que abrange 4 mil anos de história da arte, desde o Egito Antigo até o Impressionismo. O objetivo é que o artista utilize como rastilho estético a sua leitura dos espaços vazios – dos espaços que existem entre as coisas – e que nos permitem perceber as coisas, como explica o curador Marcio Doctors: “É uma proposta de trabalhar com as zonas adormecidas, silenciosas e de descanso, que não são imediatamente perceptíveis, mas são o que garantem a nossa percepção do espaço. Desta forma o artista estará criando novas relações espaciais no acervo da casa-museu de Eva Klabin, oxigenando, revitalizando e atualizando o
sentido dessa coleção. Por isso: Respiração”, conclui.


Carlito Carvalhosa
Nasceu em São Paulo, 1961. Pintor, gravador, formou-se em arquitetura pela fau/usp (1984). Cursou gravura em metal no ateliê de Sérgio Fingermann (1953), entre 1980 e 1982. Na década de 1980, fez parte do grupo Casa 7, produzindo pinturas de grandes dimensões, com predomínio do gesto pictórico. No final dos anos 1980, realizou quadros com cera pura ou misturada a pigmentos. Posteriormente, passou a construir esculturas com materiais de aparência predominantemente orgânica e maleável. Em 1989, recebeu bolsa do Deutscher Akademischer Austauch Diens – daad [Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico], permanecendo em Colônia, Alemanha, até 1992. Na década de 1990, realizou as “ceras perdidas” e esculturas de porcelana, explorando as propriedades estéticas dos materiais. Em 2000, foi publicado o livro Carlito Carvalhosa, pela editora Cosac & Naify, com textos de Rodrigo Naves, Alberto Tassinari e Lorenzo Mammì.

Projeto Respiração (13ª Edição)
curadoria Marcio Doctors

Carlito Carvalhosa – Regra de dois
Fundação Eva Klabin: Avenida Epitácio Pessoa, 2.480, Lagoa
Rio de Janeiro | rj | tel 3202-8550
abertura 26 de abril, terça-feira, às 19h (somente convidados)
aberto ao público de 27 de abril a 26 de junho, de terça a domingo, das 14h às 18h
ingressos R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)
gratuidade terceira idade, crianças até 10 anos e profissionais de artes visuais
e-mail cultura@evaklabin.org.br
site www.evaklabin.org.br
blog www.projetorespiracao.blogspot.com

Plataforma de Pesquisa com Ruth Levy

Plataforma de pesquisa
programa de divulgação de teses universitárias em arte

Com Ruth Levy
arquiteta e museóloga da Fundação Eva Klabin, mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da UFRJ

A Exposição do Centenário e o meio arquitetônico carioca no início dos anos 1920

19 de abril, terça-feira, às 17:00h


Pavilhão do Distrito Federal | atual Museu de Imagem de do Som


Essa pesquisa buscou situar o meio arquitetônico carioca do início dos anos 1920, tomando a Exposição Internacional de 1922 como evento marcante e cenário privilegiado para a análise da arquitetura do momento de transição entre o ecletismo e o modernismo na cidade, com destaque para o movimento neocolonial. Com a construção d
e um grande número de palácios e pavilhões, nacionais e estrangeiros, ocupando uma grande área no centro da cidade, a exposição serviu de vitrine, revelando as tendências da arquitetura naquele momento, as idéias e ideais dos arquitetos mais atuantes do período, o repertório arquitetônico e estilístico então em voga e como tudo isso se refletia na prática.


Ruth Levy

é arquiteta e museóloga, mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da UFRJ e pós-graduada em História da Arte e Arquitetura no Brasil pela PUC-RJ. É autora dos livros Entre palá
cios e pavilhões: a arquitetura efêmera da Exposição Nacional de 1908 e A Exposição do Centenário e o meio arquitetônico carioca no início dos anos 1920, publicados pela editora da EBA/UFRJ. É museóloga da Fundação Eva Klabin.

Entrada Gratuita
para sua comodidade, garanta seu lugar com antecedência:
tels 3202-8554 / 3202-8550 / 8236-1825 / 4141-9240 ou pelo email cultura@evaklabin.org.br ou basta chegar antes do início do evento.


visite o museu chegando 1 hora antes do evento
ingressos: r$10,00 inteira | r$5,00 meia
gratuidade: crianças até 10 anos
clube do assinante do globo: 20% de desconto

coordenação: Marcio Doctors
consultoria: Gloria Ferreira